Voltar ao início

O que são criptomoedas e para que servem?

9/5/22

O que são criptomoedas? É o mesmo que moeda digital? 

Criptomoeda é o nome dado para as moedas digitais que usam Blockchain, uma tecnologia que facilita as operações de transferência de valores e, ao mesmo tempo, as protege. 

Essas criptomoedas são uma forma de dinheiro digital válido tanto em suas comunidades cripto (a rede Bitcoin ou Ethereum, por exemplo) quanto nos mercados tradicionais de produtos e serviços, onde seu uso vem crescendo desde o surgimento da primeira criptomoeda criada em 2009 - o Bitcoin.

As transações com criptomoedas são protegidas por criptografia, o que as tornam muito difíceis de serem violadas, já que utilizam a tecnologia blockchain; cujos registros não podem ser nem alterados nem excluídos. 

Com as criptomoedas, os usuários podem operar de forma privada, rápida e simples, permanecendo anônimos para o restante da rede, que não sofre intervenção por nenhum governo, empresa ou instituição.

As criptomoedas são a coisa mais próxima do dinheiro digital, uma forma perfeita de dinheiro para a era da Internet.

Como funcionam as criptomoedas? O que é blockchain?

Quando falamos de blockchain ou cadeia de blocos, nos referimos a uma forma particular de organizar informações, geralmente em banco de dados, sendo que todos os dados armazenados são organizados em blocos sucessivos, cada um se conectando com o anterior.

Os blocos podem conter até uma certa quantidade de informações e são identificados por um número alfanumérico, gerado pela função hash. As funções hash são um tipo de algoritmo cripto que cria um identificador específico para cada informação. O Bitcoin, por exemplo, usa o algoritmo “SHA256”, enquanto a Ethereum usa o “Ethash”. 

Caso alguma informação de um bloco seja alterada, por menor que seja, o identificador também é modificado. Dessa forma, o número hash nos permite saber se um determinado conjunto de informações sofreu alguma alteração.

A primeira blockchain desenvolvida foi a do Bitcoin, que seu criador Satoshi Nakamoto desenvolveu para trazer mais segurança e descentralização para a criptomoeda. Se você quiser saber mais sobre como funciona o Bitcoin e sua Blockchain, acesse o guia do Bitcoin

Desde a criação do Bitcoin em 2009, as ideias e usos em torno da blockchain se tornaram cada vez mais populares e sendo replicados para utilização em novos projetos e nas criptomoedas que surgiram posteriormente. 

Por mais que o Bitcoin tenha sido a primeira criptomoeda a utilizar a tecnologia Blockchain, outros projetos foram surgindo. Cada criptomoeda que apareceu tinha sua própria Blockchain, até o aparecimento da Ethereum. Quando a Ethereum foi lançada, criou-se um tipo de plataforma que permite a criação de outras criptomoedas compartilhando a mesma cadeia de blocos. Mas se quiser saber mais sobre a Ethereum e a tecnologia blockchain, você pode acompanhar o nosso Guia Ethereum.

Quais são as criptomoedas mais comuns?

Bitcoin, a primeira criptomoeda

Criada por uma pessoa ou um grupo de pessoas cujo pseudônimo é “Satoshi Nakamoto”, o Bitcoin foi criado em 2008, uma moeda digital totalmente livre, sustentada por seus usuários por meio de uma rede descentralizada. 

Uma das principais evoluções do Bitcoin foi ter proporcionado a tecnologia blockchain para que os registros das transações sejam imutáveis, graças ao sistema de criptografia e problemas matemáticos. 

O Bitcoin (BTC) serve como uma moeda de valor, como um ativo de reserva e também como um instrumento para fazer transferências e pagamentos

Muitos usuários utilizam a criptomoeda como um ativo de especulação financeira, já que sua volatilidade é grande, por conta dos movimentos de oferta e demanda, por sua utilidade e sua escassez. Conheça mais sobre o Bitcoin em nosso Guia Bitcoin

Ethereum, um universo de possibilidades

A Ethereum foi desenvolvida pelo programador russo Vitalik Buterin, que lançou seu white paper no final de 2013. Buterin era um programador ativo e membro da comunidade cripto, e acreditava que o BTC precisava de uma linguagem de programação para desenvolver aplicativos da blockchain

Buterin sugeriu modificar o Bitcoin. Como a proposta não foi aceita pela comunidade, ele decidiu criar uma nova plataforma. Em janeiro de 2014 anunciou o projeto Ethereum, e começou seu desenvolvimento com outras 4 pessoas, com as quais criou uma fundação, localizada na Suíça.

O principal objetivo do grupo era trabalhar e construir um sistema que permitisse a criação de contratos inteligentes, que, ao se depararem com uma ordem de entrada, retornassem uma ordem de saída, e por terem sido escritos em uma blockchain, que é imutável, nada pode ser modificado. Esse mecanismo que acabamos de descrever hoje é conhecido como “contratos inteligentes”.

Esse desenvolvimento trouxe os elementos necessários para a criação dos aplicativos descentralizados, conhecidos como dApps. 

Qual a diferença entre um token e uma criptomoeda?

São chamadas de criptomoedas as moedas digitais que funcionam com base em uma rede blockchain. O Bitcoin possui a própria blockchain para a sua criptomoeda, assim como a Ethereum, que possui uma rede com sua moeda Ether (ETH).

A principal diferença entre um token e uma criptomoeda é que o token não possui sua própria rede, os tokens são normalmente desenvolvidos em outras blockchains. A rede Ethereum, embora tenha sua própria criptomoeda, também permite a criação de tokens através dos protocolos ERC-20 e ERC-721.

Os tokens servem para simbolizar algum tipo de ativo, bem ou ingresso de participação dentro de uma comunidade específica. Existem diversos tipos de tokens, cada um com uma utilidade. Se você quiser saber mais sobre os tokens, confira neste artigo

Uma das formas mais simples de descobrir um token é através do site CoinMarketCap, que é referência na comunidade cripto. No site você encontra informações sobre todos os projetos listados, todas as criptomoedas existentes no mercado, além da opção de filtrar apenas os tokens para ver quais são e em qual rede blockchain cada um está. 

O uso dos termos “tokens” e “criptomoedas” é um pouco diferente, mas isso não muda o fato de ter que aprender coisas novas para quando for comprar criptomoedas, tomar decisões mais conscientes. 

Características das criptomoedas

O prefixo de criptografia surge porque essas moedas usam criptografia em transações entre usuários, e esse método matemático torna seguro o envio de informações (ou fundos) entre um emissor e um receptor.

Diversas criptomoedas são desenvolvidas com o código aberto, como o Bitcoin. Sendo de código aberto e a primeira criptomoeda criada, muitos programadores copiaram esse código e programaram suas novas moedas digitais. 

Assim, começaram a surgir novas criptomoedas alternativas ao Bitcoin, conhecidas como altcoins. Projetos com muitas aplicações, como é o caso da Ethereum e sua poderosa rede para dApps e Contratos Inteligentes. Surgiram também as stablecoins, que são criptomoedas lastreadas a um ativo menos volátil, como o dólar americano. 

Embora cada criptomoeda tenha seu preço e suas características, em termos gerais, as criptomoedas acompanham algumas regras

  • Seu sistema não requer uma autoridade central e sua rede funciona de forma distribuída.
  • Um banco de dados é mantido nas unidades de criptomoedas existentes e seus proprietários, embora nenhuma informação privada do usuário seja registrada, apenas “endereços” de sua carteira cripto.
  • O sistema define se novas unidades de criptomoeda podem ser criadas, como isso é feito e como a propriedade delas é estabelecida.
  • A propriedade de uma unidade de criptomoeda é comprovada apenas por criptografia, mantendo uma chave pública e uma chave privada criptografada;
  • As pessoas podem transferir a propriedade de uma unidade de criptomoeda e suas frações entre si.

Atualmente, as criptomoedas são uma das tecnologias mais empolgantes, e compreender como elas funcionam é uma das chaves para entender o seu impacto na nova economia digital global. 

Você pode encontrar muito mais informações sobre criptomoedas e Bitcoin em nosso guia Bitcoin: uma viagem ao planeta cripto

Como posso comprar criptomoedas com a Ripio?

É super fácil comprar criptomoedas aqui no Brasil com a carteira da Ripio. Você pode se cadastrar em nosso site e inserir saldo em sua conta através de depósito bancário, incluindo o PIX.

Assim que tiver saldo disponível, poderá comprar criptomoedas de maneira rápida e simples na Ripio. Você não precisa comprar um Bitcoin inteiro, podendo operar com até 8 casas decimais, conhecidas como “Satoshis”. 

Você pode acessar sua carteira na Ripio, ir até a moeda ‘Bitcoin’ e escolher a opção “Comprar”. Caso queira fazer o mesmo para outros ativos, o procedimento é igual, basta ir à moeda que deseja USDT, ETH, AXS, entre outras e escolher “Comprar”. 

Atualmente além do Bitcoin, ETH e USDT, na Ripio você pode comprar altcoins como LTC, UNI, DOGE, LINK, BAT e AAVE. Além das principais stablecoins do mercado USDT, USDC e DAI. E ainda token de jogos play-to-earn e metaverso, como AXS E SLP de Axie Infinity ou MANA de Decentraland. Claro que nossa RPC também está disponível!

Quando você decidir qual criptomoeda comprar, a nossa plataforma solicitará que você insira o valor desejado e aceite as condições de compra, como comissões ou mínimos para operar. Depois é só confirmar a transação e esperar que a compra seja finalizada e você obtenha suas primeiras criptomoedas.

Para mais detalhes sobre como comprar criptomoedas na Ripio, confira esse guia.

Se você tiver alguma dúvida sobre criptomoedas, mande uma mensagem para nós!