Voltar ao início

Protocolo ERC-20 e novos tokens

Um dos padrões de desenvolvimento da Ethereum está focado nas interfaces dos tokens, que ajudam a garantir que os contratos inteligentes sejam interoperáveis ​​e que, por exemplo, se um novo token for criado, será compatível com exchanges descentralizadas e protocolos DeFi.

Os tokens podem representar virtualmente qualquer coisa em Ethereum, desde poderes ou objetos de uma personagem em um videogame, até bens reais, como ações de uma empresa, moeda fiduciária ou uma onça de ouro, por exemplo.

Por isso, toda essa variedade de opções deve ser gerenciada por um único padrão. E foi assim que nasceu o protocolo ERC-20, o qual introduz um padrão para tokens fungíveis, ou seja, tokens que possuem a propriedade de que cada unidade seja, para sempre, exatamente igual (em tipo e valor) à outra.

O que são os Tokens ERC20
A variedade de desenvolvimentos possíveis em Ethereum inclui os tokens fungíveis, onde cada um é igual ao outro.

O ERC-20 (Ethereum Request for Comments Nº 20), proposto por Fabian Vogelsteller em novembro de 2015, implementa uma API para tokens dentro dos contratos inteligentes.

Isto permite a transferência de tokens de uma conta para outra, a obtenção do saldo atual do token em uma conta e também da quantidade total do token disponível na rede. Além de outras funcionalidades, como aprovar que certa quantidade de token de uma conta pode ser usada/gasta por outra conta de terceiros.

Quando um contrato inteligente incorpora estes métodos e eventos, pode ser considerado um contrato de token ERC-20. E, ao ser implementado, se torna responsável por realizar o acompanhamento dos tokens criados na Ethereum.