Voltar ao início

Uma breve história

As stablecoins são criptomoedas projetadas para manter um valor estável, diferente de outras como o Bitcoin, conhecido por sua volatilidade de seu preço.

A maioria das criptomoedas, como Bitcoin ou Ether, são ativos cujo preço pode mudar abruptamente porque obedecem, simplesmente, a lei de oferta e procura.

Isso é muito atraente para algumas pessoas, pois graças a essas variações de preços elas pretendem ganhar dinheiro. Mas você também pode perder muito.

As stablecoins surgiram para criar um ativo que tem todas as vantagens de uma criptomoeda, mas com um valor constante ao longo do tempo.

Em outras palavras: stablecoins são uma solução que o mercado encontrou para a volatilidade das criptomoedas.

Bitcoin e criptomoedas: uma breve história
Stablecoins buscam resolver problemas das criptomoedas, como volatilidade e pouca previsibilidade.

Breve história das stablecoins

Em 2014 surgiu o Tether (USDT), com a ideia de criar uma moeda digital com todas as vantagens de uma criptomoeda, mas sem sua volatilidade.

Para fazer isso, a empresa Tether Limited propôs que, para cada USDT disponível, haveria um dólar depositado em uma conta bancária de reserva.

Mas isso tinha um problema fundamental: exigia a confiança dos usuários de uma empresa, justamente quando uma das bases das criptomoedas é eliminar a necessidade de centralizar a confiança, o poder de cálculo ou a informação em um terceiro.

Esse modelo foi o único disponível durante quatro anos e foi cercado de polêmicas.

A empresa não foi capaz de estabelecer um mecanismo de auditoria confiável, e várias investigações, inclusive do governo dos EUA, apontaram que a Tether Limited mantinha uma relação próxima com várias exchanges que ofereciam seu token.

Em 2019, a empresa admitiu que para cada token em circulação havia garantia de apenas  75 centavos em dinheiro. O restante estava em outros ativos financeiros.

Como resultado, a necessidade de uma stablecoin descentralizada ganhou espaço, e a Maker lançou a DAI, um projeto mais técnico e complexo, mas que atingiu seu objetivo e também gerou uma comunidade crescente de desenvolvimentos.

Finalmente, o surgimento do USDC retomou a ideia do Tether, mas com uma garantia extra: uma auditoria externa permanente.