Voltar ao início

O que é Theta Network?

5
minutos de leitura

O que é Theta Network?

29 Mar
Tecnologia
Santiago Juarros
Content Analyst
29/3/22

Existem muitas blockchains além das do Bitcoin e da Ethereum. Na verdade, muitas criptomoedas têm sua própria blockchain. E, como você pode imaginar, os usos são bastante variados, porque a função mais básica de uma blockchain é ser uma rede de computadores capaz de processar, juntar e armazenar informações digitais.

Lançada em março de 2019, a Theta Network é uma rede blockchain desenvolvida especificamente para streaming de vídeo de alta qualidade. O projeto tem garantias e parcerias com Samsung, Verizon e Google; e tem como consultores de mídia Steve Chen, cofundador do YouTube, e Justin Kan, cofundador da Twitch.

O objetivo da Theta Network é resolver alguns dos problemas com streaming de vídeo, já que essa é uma das formas mais importantes de consumo cultural atualmente. Mas, além disso, também é uma indústria que permite o trabalho independente de milhares de criadores de conteúdo audiovisual em todo o mundo, de streamers de videogame a produtores de conteúdo erótico.

Seus criadores desenvolveram a Theta Network após perceberem uma crise no modelo de streaming atual, devida principalmente a três fatores:

  1. O consumo de dados está se tornando mais intenso, mas o carregamento de vídeos é lento e a qualidade é baixa;
  2. ‍Os usuários têm qualidade 4K ou 8K, mas a infraestrutura por trás da rede geralmente não a suporta;
  3. ‍O sistema comercial centralizado de streaming é ineficiente: os criadores de conteúdo não são quem mais se beneficia, e os usuários acessam experiências de baixa qualidade que não lhes dão nenhuma recompensa.

O que a Theta Network propõe

Como a Theta responde a isso? Em princípio, propondo uma entrega de vídeo descentralizada ponto a ponto (peer-to-peer) que funcione diretamente na blockchain, "alimentada por seus próprios usuários".

A Theta Network recompensa os usuários que auxiliam no compartilhamento dos conteúdos com o token Theta Fuel, ajudando assim a tornar o streaming de vídeo mais leve e de melhor qualidade. Os conteúdos não estão centralizados em um único servidor, eles são distribuídos em diferentes nós.

Ao mesmo tempo, isso ajuda a reduzir os custos de distribuição de transmissão de vídeo, permitindo a criação de plataformas de streaming com infraestrutura mais barata, favorecendo a competitividade e ampliando a oferta de serviços.

E esse dinheiro que deixa de ser necessário na infraestrutura pode levar a modelos econômicos em que as plataformas oferecem não só melhores ofertas aos criadores, mas também podem recompensar e premiar seus usuários.

O futuro da Theta Network

‍Todo esse desenvolvimento funciona dentro de uma rede de código aberto, onde qualquer pessoa pode colaborar com as condições e as formas como o conteúdo é tratado, ou como funciona o token Theta Fuel.

E é um código no qual os desenvolvedores podem criar seus próprios dApps, os aplicativos descentralizados, neste caso, relacionados ao ecossistema de streaming de vídeo, seja eSports, música, TV e filmes ou até mesmo educação a distância e quem sabe comunicações de vídeo ao vivo.

À medida que ganha mais usuários, a blockchain Theta aumenta sua capacidade de processar mundos de realidade virtual em tempo real, distribuir vídeo de forma cada vez mais descentralizada (melhorando assim os tempos de acesso de qualquer lugar do mundo) e desenvolver novas ferramentas para a criação de NFTs audiovisuais.

Essa proposta está convencendo cada vez mais criadores e desenvolvedores, e é por isso que a Theta Network vem crescendo e expandindo seu alcance também para o metaverso, com acordos recentes com a Decentral Games (os criadores do Decentraland e seu token MANA), com projetos NFT como One Championship ou com artistas musicais, como Katy Perry.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre a Theta Network, você pode acessar o site oficial, conferir o blog dos desenvolvedores no GitHub ou ler a versão mais recente de seu whitepaper.