Voltar ao início

Futuro das criptomoedas: o que esperar do mercado nos próximos anos?

Futuro das criptomoedas: o que esperar do mercado nos próximos anos?

Saiba qual a previsão para o futuro das criptomoedas. Os pagamentos digitais e automatizados substituirão o dinheiro fiduciário?

Mitie Okabayashi
Global Content Strategist
30/9/22

O mercado cripto deixou de ser uma aposta e se consolidou de vez entre os investidores. Enquanto o Bitcoin ganha cada vez mais espaço na carteira digital de milhares de pessoas, o mesmo ocorre com altcoins e stablecoins, além de outros ativos como tokens, NFTs etc. Mas qual será o futuro das criptomoedas?

É fato que não dá para prever o que vem por aí. Ainda assim, especialistas acreditam em um cenário muito positivo para os próximos anos. Em especial, devido à adoção cada vez mais frequente das criptomoedas como ativos oficiais em nações mundo afora.

Com a expansão da blockchain em pauta, desenvolvedores e entusiastas veem na tecnologia por trás das criptomoedas uma oportunidade de revolucionar de vez o setor financeiro mundial. Confira, a seguir, quais são as principais inovações esperadas para o futuro das criptomoedas e como aproveitar para investir.

Por que as criptomoedas são consideradas a “moeda do futuro”?

Quando lançado, o Bitcoin foi apontado como um ativo disruptivo no mercado, muito graças à tecnologia por trás do seu funcionamento: a rede blockchain. Ela foi capaz de abrir portas para vários protocolos descentralizados e potencializar a evolução das criptomoedas. Mas sua gama de funcionalidades está só no início.

Por isso, especialistas apontam que a adoção cada vez maior da tecnologia contribuirá para inúmeros processos evolutivos no sistema financeiro mundial. Já no campo das finanças, o Bitcoin é apontado para ser a principal moeda global nos próximos anos, assim como já acontece hoje com o dólar e o euro.

Para além das oscilações a curto e médio prazo, a tendência é de que a moeda se torne um ativo de inúmeras facetas, que vai muito além do uso financeiro em si. Com a alta da inflação a nível global e países adotando as criptos como moedas principais, acredita-se que a tendência seja de uso cada vez maior pela população. 

Mesmo a regulamentação das criptomoedas deve contribuir com a valorização, já que mais pessoas devem passar a se utilizar da tecnologia à medida que há maior segurança para o uso. Outro ponto que pesa positivamente para o futuro das criptomoedas é o próximo halving do Bitcoin, que deve ocorrer em 2024.

Criptomoeda substituirá o dinheiro fiduciário?

Quando o assunto é futuro das criptomoedas, é comum nos depararmos com comparações feitas sobre esses ativos com o já tradicional utilizado globalmente. Por isso, você já deve ter ouvido falar em dinheiro fiduciário, que nada mais é que as moedas já consolidadas em nossa economia.

As principais moedas fiduciárias, como dólar, euro e real, não devem deixar de existir. O que tende a acontecer é um uso integrado e simultâneo de dinheiro dessa espécie com os ativos digitais. 

Como indica a pesquisa 2021 Global Blockchain Survey, 76% dos executivos do setor de finanças acreditam que as criptomoedas serão uma forte alternativa ou substituto para o dinheiro fiduciário nos próximos anos. Isso porque os ativos digitais estão forçando o setor a se reinventar para permanecer em pauta.

É um bom momento para investir em criptomoedas?

Muitos se perguntam se ainda é um bom momento para se investir em criptomoedas. Essa pergunta deve levar em conta diversos fatores para ser respondida de forma positiva ou negativa. Além de, claro, se adequar à estratégia de cada investidor e objetivo futuro com o ativo.

Para 2022, as tensões geopolíticas e a alta inflação que atormenta diversas nações deve respingar sobre as principais criptomoedas do mercado. Portanto, se o seu desejo é lucrar no curto prazo, essa pode não ser uma boa estratégia. 

Apesar de criptos como o Bitcoin e o Ethereum apresentarem baixas, ainda assim pode ser uma boa oportunidade para quem deseja ingressar no mercado com foco no longo prazo.

Apesar de um cenário econômico de baixa, especialistas acreditam que o mercado cripto é reforçado a cada vez que uma crise monetária ronda o mundo. E com países adotando as moedas digitais e com a regulamentação batendo à porta, a tendência é de alta para os próximos anos.

Além disso, como reforçado anteriormente, 2024 será o ano para o próximo halving do Bitcoin. Se seguir o histórico dos últimos eventos, a tendência é de uma grande alta no valor da moeda para esse período. Por isso, o momento de entrar pode ser agora mesmo.

Como começar a investir em criptomoedas?

Com o mercado de criptomoedas em expansão, a principal dica para quem deseja ingressar nesse setor é estudar as opções e saber diferenciar boas oportunidades de moedas “da moda”. Lembre-se que, assim como outros investimentos, criptomoedas também são ativos voláteis – que oscilam entre baixas e altas diárias.

Dito isso, a melhor forma de comprar Bitcoin e outras criptos é por meio de plataformas especializadas. Aqui na Ripio, por exemplo, é muito fácil negociar criptos. Ao se cadastrar e abrir sua conta, você pode começar a comprar ativos a partir de R$ 20. Tudo isso de forma prática, rápida e segura.

Outras formas de investir em criptomoedas para além das exchanges convencionais é apostar em fundos de índices negociados em Bolsa, como os ETFs, ou mesmo o peer-to-peer – negociação direta entre usuários. Embora todas apresentem vantagens e desvantagens, as corretoras especializadas são alternativas seguras. 

Conclusão

Como é possível observar, o futuro das criptomoedas não pode ser firmado com certeza, mas há grandes indícios de que o setor crescerá ainda mais nos próximos anos. Com a adoção em massa por governos e entidades, o Bitcoin deve atingir seu patamar histórico junto com o seu halving em 2024.

Já altcoins da rede Ethereum e tokens do metaverso são a grande aposta para dominar o mercado ainda este ano.