Voltar ao início

Como funcionam as carteiras de bitcoin?

26/10/20

Muitas pessoas ficam inseguras em comprar Bitcoin e outras criptomoedas, por não terem conhecimento de como guardá-las em segurança. Este receio é justificável, já que são muitos os casos de saldos perdidos ou acessados através da ação de hackers. 

Neste artigo, você saberá o essencial para cuidar de suas criptomoedas ao conhecer mais sobre carteiras.

Exchange não é carteira

A comunidade brasileira de criptomoedas repete com frequência a frase que já virou um ditado popular entre os entusiastas da tecnologia: “exchange não é carteira”’.

A famosa expressão tenta mostrar aos usuários de criptomoedas que é muito importante não deixar grandes valores em bitcoin ou altcoins em corretoras de criptomoedas. 

O primeiro motivo para isso é porque essas empresas são suscetíveis a falhas como quaisquer outras. Mais que isso, acontecem muitos ataques em exchanges de criptomoedas, com o objetivo de encontrar uma brecha na segurança para furtar suas moedas.

Alguns hackers ou mesmo grupo de vários integrantes gastam muito tempo, estrutura e dinheiro na tentativa de invadir exchanges, pois sabem que se tiverem êxito mesmo uma única vez, podem obter uma alta quantia em ativos digitais.

O segundo motivo para não usar uma exchange como local para guardar grandes valores em criptomoedas é lembrar uma das vantagens delas: o uso sem intermediários. Por isso, devemos considerar a possibilidade de cuidarmos de nossas moedas sem a necessidade de terceiros.

Como funcionam as carteiras de bitcoin

Como usar as carteiras de moedas digitais?

Pense: não seria muito sábio se retirássemos todo nosso dinheiro do banco e o colocássemos em nossa carteira, dentro do bolso da calça e saísse para passear, certo? 

Não parece uma boa ideia colocar todas as nossas economias num mesmo lugar, muito menos nos expor a lugares em que nosso dinheiro pode ser perdido ou furtado.

Da mesma forma, não devemos armazenar todas as nossas moedas digitais em um mesmo local, muito menos se estivermos utilizando um dispositivo que está exposto a sites duvidosos e programas baixados de fontes inseguras.

Assim como a carteira em nosso bolso, devemos separar a parte de nossas criptomoedas usadas no dia a dia em uma wallet e o restante em outra carteira menos exposta, mais segura.

Podemos separar nossos saldos em hot e cold wallets.

Hot wallets

Hot wallets são carteiras acessadas diretamente pela internet. Geralmente são de fácil acesso e configuração, sendo opção escolhida por iniciantes e quem tem um saldo pouco expressivo em moedas digitais. Apesar da facilidade de uso, hot wallets são menos seguras do que as cold wallets, que veremos a seguir.

Um ótimo exemplo de hot wallet para Bitcoin é a oferecida pela Ripio, já que ela oferece três camadas de segurança e duplo fator de autenticação.

Hot Wallet na Ripio

Cold Wallets

As carteiras frias são dispositivos que guardam suas criptomoedas offline. Por estarem desconectadas, são mais seguras. A conexão com a internet pode ser feita somente no momento de envio ou recebimento de novas transações.

Cold wallets geralmente se parecem com pendrives e são conectados em um computador pela entrada USB. Esse tipo de carteira precisa ser comprada em lojas especializadas, sendo as principais: Ledger e a Trezor.

Cold Wallets na Ripio

Qual a melhor carteira? Cold ou hot?

Uma boa estratégia de uso é manter um pequeno valor armazenado em uma hot wallet para pagar despesas rotineiras. E uma cold wallet pode ser uma ótima opção se você possui valores mais altos a serem armazenados.

Independente da sua necessidade, a Ripio está aqui para te auxiliar na compra, venda e armazenamento de criptomoedas. 

Conheça os nossos serviços!