Voltar ao início

Uso de blockchain na indústria alimentícia

22/1/21

Um assunto globalmente discutido na atualidade é o Bitcoin e sua tecnologia blockchain. Muito se especula sobre este tema, com várias opiniões contra e a favor, deixando evidente que o grande desafio da blockchain é demonstrar seu valor e a sua utilidade prática no dia-a-dia.

Hoje iremos compartilhar o uso da tecnologia blockchain na indústria alimentícia.

Antes de começar, vamos esclarecer um ponto importante, você sabe o que é a famosa blockchain?

Quando mencionamos a "tecnologia emergente Blockchain" ou "novas tecnologias de cripto" os termos podem assustar um pouco, mas não se preocupe, o conceito é bem simples.

A blockchain (em português = cadeia de blocos) é como um livro-razão de contabilidade compartilhado entre todos os envolvidos, em que os registros de transações neste livro são feitos de forma automatizada e praticamente inalterável.

Tanto o registro de operações quanto o rastreamento de ativos são simples de realizar.

O que podemos registrar neste livro-razão?

Podemos registrar bens tangíveis, como: casa, carro, dinheiro, terras, etc. Ou intangíveis: propriedade intelectual, patentes, direitos autorais, branding.

Tudo pode ser registrado neste bloco de maneira rastreável, reduzindo riscos e também os custos para todos os envolvidos.

As grandes vantagens da tecnologia Blockchain são:

  • Total Transparência
  • Flexibilidade
  • Descentralização
  • Auditável
  • Total Segurança
  • Sustentabilidade
  • Confiança
  • Privacidade
  • Automatização
  • Rastreamento

Blockchain e a indústria de alimentos

Na prática, o blockchain é um processo de passagem de informações de um bloco para outro, de uma maneira automatizada e em ambiente seguro. Na indústria alimentícia até que o produto chegue ao supermercado local, existem diversas etapas envolvidas:

  • Fazendeiros
  • Intermediários
  • Fábricas
  • Agências de certificação
  • Órgãos governamentais reguladores
  • Logística
  • Distribuição
  • Varejistas
  • Entre outros
Uso de blockchain na indústria alimentícia

Dependendo da situação, cada etapa pode ser realizada por empresas diferentes, com sistemas diferentes onde as informações dos produtos ficam em seus próprios servidores locais e não são compartilhadas com todos da cadeia. Dessa forma, há a possibilidade de uma fraude alimentar.

E o que é a fraude alimentar?

Fraude alimentar significa a falsificação, adulteração ou substituição de componentes presentes no produto.

Atualmente, caso você queira comprar um ketchup de tomate orgânico, a única forma de saber a origem do tomate é ler o rótulo dos ketchups no supermercado, procurar um com o selo "orgânico" e confiar no selo.

Entretanto, podemos ver nos noticiários que casos de falsificação ocorrem com bastante frequência, gerando desconfiança e insegurança para o consumidor.

A solução blockchain para o problema de fraude alimentar:

O consumidor, no final do processo, consegue escanear o rótulo do produto e receber todas as informações de cada etapa do processo, ou seja, a garantia de que seu ketchup é realmente orgânico.

Cada parte envolvida (Fazendeiros, Intermediários, Certificadores, Transporte) possui uma cor determinada que se agrega ao seu sucessor na fase seguinte, demonstrando que em cada etapa é necessário a validação do bloco anterior para seguir em frente, e também possibilitando rastrear a sua origem.

Dessa forma se garante a transparência e segurança de que todas as informações da cadeia são verdadeiras.

Exemplos da aplicação da Blockchain na indústria alimentícia

O potencial da blockchain aliado a novas ferramentas que surgem diariamente tem o poder de revolucionar a indústria alimentícia:

  • Agilizando a cadeia de suprimentos e reduzindo custos em todas etapas.
  • Simplificando medidas regulatórias.
  • Reduzindo a fraude alimentar.
  • Garantindo a segurança do processo.

Já existem diversas empresas testando o uso da blockchain, como por exemplo:

  • A Nestlé tem utilizado uma plataforma blockchain para rastrear a origem do leite coletado em fazendas na Nova Zelândia e utilizado em fábricas da Nestlé no Oriente Médio. Com isso, a empresa tem a intenção de demonstrar para seus clientes sua transparência, compartilhando informações com todos.
  • O Carrefour e a Nestlé utilizaram a plataforma da IBM Food Trust para mostrar aos seus clientes o processo de embalagem de um de seus produtos, provando a alta qualidade e cuidado, garantindo a confiança do consumidor.

A blockchain veio para revolucionar

De uma maneira global, diversas empresas já estão realizando experimentos com a blockchain e podemos ter certeza de que esta já é uma tecnologia altamente promissora com benefícios para todos, e especialmente ao consumidor. Com uma cadeia de suprimentos transparente, podemos aprender sobre a origem de nossos alimentos, seus processos e informações de transporte. Uma maneira segura e confiável para ambos os lados (empresa e cliente).

Empresas, consumidores, agricultores, governo e órgãos reguladores aliados a empresas de TI, juntos trabalham para implementar e desenvolver cada vez mais e melhor.

Através do nosso Launchpad você também pode aperfeiçoar diariamente os seus conhecimentos sobre blockchain, buscando e acompanhando todos os artigos e guias que postamos referentes a tecnologia blockchain.