Voltar ao início

O que é um hard fork?

26/10/20

A maior parte das criptomoedas são de código aberto, ou “open source”. Isso quer dizer que o código está disponível a todos, inclusive para cópias e modificações.

A blockchain, tecnologia essencial para a grande maioria das criptomoedas, cresce e evolui continuamente. Por isso, nesta rede descentralizada, os seus participantes precisam concordar em um conjunto comum de regras para chegar a um consenso.

Sendo assim, em uma criptomoeda encontramos uma única cadeia de dados verificados que todos concordam que estão corretos. Mas o que acontece quando acontecem divergências entre a comunidade?

O que é um fork?

Um fork, ou bifurcação da rede,  é uma mudança no software de uma criptomoeda, criando assim duas versões diferentes de sua blockchain. Isso acontece quando há discordância sobre o seu consenso ou uma mudança nas regras do protocolo. 

Um fork pode causar uma divisão temporária ou permanente da rede, criando duas moedas digitais independentes. Os tipos de bifurcação mais comuns são os soft forks e os hard forks.

Soft fork

Um soft fork ocorre quando a versão atualizada do protocolo é compatível com versões anteriores. É uma forma de upgrade do código, sendo mais fácil de ser implementado. 

Numa bifurcação deste tipo, caso a maior parte dos participantes atualize seu software, as alterações já passam a ter efeito. O restante da rede ainda continuará a participar do consenso, mesmo que não deseje fazer a atualização.

Um soft fork geralmente é realizado quando identifica-se uma pequena falha no código de uma criptomoeda e a comunidade aceita corrigir o problema. Também é proposto quando a maior parte dos participantes desejam implementar uma nova funcionalidade.

Hard fork

Um hard fork possui uma implementação mais difícil e que geralmente apresenta conflitos, já que esta é uma mudança do protocolo que não é compatível com as suas versões anteriores. Sendo assim, todos os participantes devem atualizar o software para continuar a participar e validar novas transações.

Nesta forma de bifurcação, os participantes que não atualizam seus softwares são rejeitados da blockchain e não podem participar em novas validações. Isso resulta em um desvio permanente do protocolo original, criando-se uma rede paralela. Sendo assim, as duas blockchains podem coexistir,  dando origem a uma nova criptomoeda.

Um hard fork geralmente acontece por falta de concordância por parte de desenvolvedores e comunidade em relação ao futuro de um projeto, a tecnologia usada e suas ideologias. Também pode ser usado em casos que uma grande correção de falha ou atualização deve acontecer, não sendo possível a solução apenas com um soft fork.

O que é um fork? é uma mudança no software de uma criptomoeda
Hard fork de Bitcoin ao Bitcoin Cash

Exemplos de hard forks

O bitcoin já sofreu alguns forks durante a sua trajetória. O mais famoso deles foi o que deu origem ao Bitcoin Cash. O Bitcoin Cash nasceu em 2017, em meio a uma discussão sobre o aumento do tamanho dos blocos da rede como solução para processar transações de forma mais rápida e barata.

Além do Bitcoin Cash, outras moedas digitais surgiram através de hard forks do bitcoin, como o Bitcoin Gold, o Bitcoin Diamond e o Bitcoin Satoshi’s Vision.

Hard forks não acontecem somente com o Bitcoin. Por exemplo, a Ethereum Classic é um fork da Ethereum.

Hard fork são prejudiciais?

A primeira coisa que deve ser considerada é que o mercado de criptomoedas permite que qualquer grupo de pessoas crie uma moeda ou faça uma bifurcação de muitas das redes existente. Essa liberdade traz confiança aos investidores e a comunidade sente que realmente possui o controle sobre seu próprio dinheiro.

Sendo assim, cabe a nós avaliarmos os motivos da realização de um fork. E, baseado nas conclusões de nossas análises, cabe também apoiá-lo ou não. Desta forma, não podemos julgar um fork como positivo ou negativo sem conhecer os motivos por trás dele.

Além disso, os hard forks, ao mesmo tempo que tentam dividir a rede de uma moeda, podem mostrar o quão forte ela é. Pense no bitcoin: mesmo com várias bifurcações ocorridas na sua história, ainda permanece como a maior moeda em capitalização, além de ser a mais popular moeda digital existente.

Mostrar capaz de manter seu reinado mesmo com tantos dissidentes e proponentes ao trono, revela que o Bitcoin possui força, é confiável e possui uma comunidade fiel.