Voltar ao início

Cold wallet: o que é e quais as vantagens

5
minutos de leitura

Cold wallet: o que é e quais as vantagens

15 Sep
Investimentos
Santiago Juarros
Content Analyst
15/9/22

Se você investe em criptos ou mesmo está começando a pesquisar sobre esse mercado, muito provavelmente já se perguntou qual a melhor forma de manter os ativos protegidos. Afinal, as criptos não são rastreadas como outras moedas tradicionais, e por isso exigem um armazenamento mais seguro. Entre as opções disponíveis, as cold wallet figuram entre as principais e mais seguras.

Mas, afinal, como funciona esse tipo de carteira? Quando falamos em Bitcoin e outras criptomoedas, as wallets virtuais e físicas são extremamente importantes para manter os ativos seguros. Existem dois tipos de armazenamento possíveis: a cold wallet e a hot wallet.

Com esses tipos de carteiras, é possível armazenar as chaves públicas e privadas tanto por meio online como offline. Neste texto, vamos focar na solução física! Tem dúvidas sobre o assunto? Confira a seguir o que é cold wallet, quais as diferenças para a hot wallet e as principais vantagens que a carteira fria oferece.

O que é cold wallet?

Como o próprio nome sugere, a cold wallet (carteira fria) é representada por um dispositivo físico que funciona de maneira offline, ou seja, não sendo necessária uma conexão com a internet.

Quem deseja manter a estratégia de seus ativos em moedas digitais por mais tempo, praticando o que conhecemos como HODL, deve investir em um armazenamento frio, já que o dispositivo garante maior segurança no longo prazo. Também conhecidas como paper wallet, essas carteiras são a melhor forma de armazenar os ativos para além do ambiente online.

Como funciona

As carteiras de criptomoedas podem ser gerenciadas tanto com chaves privadas como por meio de endereços públicos, desde que restritas aos usuários. A principal característica da cold wallet é o fato de permitir o armazenamento offline de criptomoedas.

Seu funcionamento é bastante simples: os ativos são armazenados em dispositivos físicos – como um pen drive ou outro tipo de software. Dessa forma, é possível transferir criptomoedas do endereço online para o offline, e acessá-las mesmo sem uma conexão com a internet.

Esse tipo de mecanismo gera maior segurança para os investidores de cripto, já que evita a incidência de ataques em sites de corretoras e outras carteiras digitais. Saiba como converter Bitcoin em real.

Para que serve

A principal funcionalidade de uma cold wallet é garantir maior segurança para o armazenamento dos tokens digitais. Manter as suas criptomoedas fora da internet é a melhor maneira de evitar um ataque de hackers que pode fazer com que você perca todos os seus ativos digitais em um instante.

Muitas das hot wallet armazenam seus ativos em nome de terceiros – o que pode ser um risco.

A custódia terceirizada acontece quando outras instituições financeiras regulamentadas se tornam responsáveis pelas criptos do investidor.

Caso algo dê errado no servidor dessas carteiras, ou se as empresas responsáveis fecharem, suas moedas podem se perder. Quando você usa uma carteira fria, mantém-se distante de todas as oscilações e problemas que podem ocorrer.

Quais os tipos de cold wallet disponíveis?

Agora que você já compreendeu o funcionamento das carteiras frias, nada melhor que conhecer os principais tipos de cold wallet disponibilizadas no mercado. Há diversos formatos, cada um com suas particularidades. Confira!

Desktop wallet

As carteiras de desktop representam uma modalidade de caderneta que existe apenas no computador do usuário. Ou seja, mesmo sem conexão com a internet, ela precisa ser acessada por uma máquina específica.

A desktop wallet pode ser utilizada para exportar arquivos de chaves privadas criptografadas em ambiente offline, além de permitir o armazenamento de chaves privadas na máquina física. Porém, para receber fundos e realizar movimentações, é preciso estar conectado.

Paper wallet

A carteira de papel é considerada a cold wallet mais acessível e barata do mercado. Ela contém um par de chaves privadas e públicas impressas em um pedaço de papel, e pode ser armazenada em um local seguro fora do computador do usuário.

Nesse método de carteira de criptomoedas, as chaves privadas são geradas de maneira offline, o que significa menos preocupação com a segurança – tanto no hold como nas transferências. Porém, é fundamental que você saiba armazenar a sua paper wallet em um local seguro e, principalmente, não esquecê-la numa gaveta ou outro compartimento.

Hardware wallet

O hardware wallet é um dispositivo eletrônico que assina as transações por meio das chaves privadas, que ficam armazenadas offline. Dessa forma, as carteiras são as mais robustas em termos de armazenamento frio.

Na prática, se o dispositivo for danificado ou perdido, o hardware ainda permite que o usuário recupere os fundos usando uma chave-semente de backup. Existem três carteiras desse tipo mais populares, que são a Trezor, a Ledger Nano S e a KeepKey – indicadas para quem deseja armazenar criptomoedas no longo prazo e de uma maneira mais segura.

USB wallet

Por fim, a USB wallet nada mais é que um dispositivo com conexão USB, considerada uma das maneiras mais simples de armazenar criptomoedas. Com ela, você pode exportar e salvar suas chaves privadas no dispositivo.

Porém, lembre-se que qualquer pessoa com acesso ao USB terá, também, acesso às suas criptomoedas. Além disso, podem existir falhas de hardware, já que o USB é um produto magnético. Conheça a Binance Coin.

Cold wallet x hot wallet: quais as diferenças?

Como dito anteriormente, em termos de armazenamento de criptomoedas, existem duas opções: as cold wallet, como você conhece mais a fundo a partir de agora, e as hot wallet (carteiras quentes).

A principal diferença entre elas é que as hot wallet ficam conectadas à internet, sendo mais práticas para o uso no dia a dia, enquanto as cold wallet funcionam como uma espécie de cofre. Para que você entenda melhor, pense que as carteiras quentes são como as contas correntes em bancos, enquanto as carteiras frias são semelhantes à poupança.

Outra diferença significativa é que você pode encontrar diversas hot wallets gratuitas na internet. Para obtê-las, basta se registrar e usá-las gratuitamente, enquanto as cold wallets costumam ter custos maiores, justamente porque são mais seguras.

É claro que não estamos falando que as carteiras quentes são totalmente inseguras, tudo dependerá dos hábitos de utilização dos usuários. Contudo, elas têm maior vulnerabilidade porque ficam constantemente conectadas à internet. Dessa forma, estão o tempo todo sob ameaça de ataques de hackers.

Uso conjunto

Investidores experientes costumam utilizar os dois tipos de carteira. Com as carteiras quentes, é possível manter uma pequena quantidade para o uso diário e para pagamentos e transações. Já o restante do patrimônio fica em uma carteira fria, mantendo essas criptomoedas seguras enquanto elas rendem.

Quais as vantagens e desvantagens da cold wallet?

Cada cold wallet possui seus prós e contras – e entendê-los é fundamental para poder escolher o melhor tipo de armazenamento. Confira a seguir as vantagens e desvantagens de cada modalidade de carteira fria:

Hardware wallet

Entre as vantagens desse tipo de armazenamento está o fato de ser a carteira mais segura do mercado, além de não sofrer com desgastes físicos. Elas garantem ainda que seus ativos não sofram cópias ou furtos, além de permitir o restauro em caso de perdas ou problemas.

Já as desvantagens incluem um custo maior de aquisição, possibilidade de dano físico – como quebra – e a não proteção contra água e outros fatores. Além disso, as hardware wallets não suportam todos os tipos de criptomoedas.

Paper wallet

As carteiras de papel também têm suas vantagens, como gratuidade na aquisição, além de simplicidade. Elas podem ser compradas como um cartão de presente, e são facilmente acessíveis e fáceis de transportar.

Entre as desvantagens, o fato de ser impressa pode gerar desgaste, e gera maior insegurança, dependendo da forma como é armazenada. Se estiver dentro da sua carteira física, por exemplo, pode ser roubada da mesma forma que um cartão de crédito.

Como é feita em papel, pode sofrer degradação ao queimar, rasgar ou se desgastar naturalmente com o tempo. Seus dados podem ainda ser copiados, e não é possível realizar reparos em caso de perda.

Desktop wallet

A principal vantagem envolvendo a desktop wallet se dá pela sua usabilidade, que é maior quando comparada a outras opções. Sendo uma das opções mais seguras de cold wallet do mercado, ela garante mais proteção e acessibilidade para quem utilizar o computador.

Já sobre as desvantagens, a principal é referente à não possibilidade de restauro em caso de perda de dados, além de constar no histórico de dados do computador, não sendo possível apagar dados para esconder algum tipo de informação.

USB wallet

Por fim, a USB wallet é uma das opções mais acessíveis e práticas para se ter no dia a dia. Além de ser simples de utilizar, garante maior flexibilidade para carregar os dados para qualquer dispositivo.

Porém, essa praticidade pode gerar menos segurança, afinal, o USB pode ser conectado em qualquer desktop que ofereça opção. Além disso, ela pode ser danificada fisicamente se não armazenada em um local apropriado. Assim como outras opções, não possui disponibilidade de restauro caso os dados se percam.

Como escolher a melhor cold wallet?

Depois de ler as informações que disponibilizamos aqui neste texto, você acredita que a cold wallet é uma excelente opção de armazenamento para suas criptomoedas? Se sim, é importante avaliar todos os critérios para fazer a melhor escolha.

O primeiro é a segurança! Este deve ser o quesito mais importante no momento de escolha da sua cold wallet. Afinal, não existe nada mais essencial do que manter suas criptomoedas seguras. Depois, você deve ainda fazer uma análise da facilidade de uso, além das funcionalidades em geral.

Algumas cold wallets podem requerer uma curva de aprendizado, exigindo que você compreenda melhor sobre as opções de configurações na interface do usuário. Por isso, é importante estar familiarizado com o assunto. Também existem cold wallets com interfaces simples de usar, que são bem acessíveis.

Se você gosta de ter muitas criptomoedas e não tem pressa em esperar pela valorização, não precisa de uma carteira muito fácil de acessar ou de transacionar. Agora, se você planeja realizar várias transações com suas criptomoedas, é importante ter uma carteira mais acessível para uso. Outro ponto essencial é o tamanho e a compactação da carteira – principalmente caso você queira levar a cold wallet para diferentes locais.

Saiba tudo sobre o mercado cripto com a BitcoinTrade

Neste conteúdo, você aprendeu que a cold wallet é uma carteira para criptomoedas que armazena as chaves públicas e privadas fora do ambiente digital. Ou seja, essas soluções de armazenamento não se utilizam da internet, e por isso são mais seguras contra ataques de hackers e problemas nos servidores.

Em geral, os investidores costumam manter apenas um percentual pequeno de criptomoedas em hot wallets (carteiras conectadas à internet) e a maior parte dos ativos nas cold wallets. Dessa forma, você garante maior segurança e acessibilidade para transacionar criptos.

Nós criamos este conteúdo para você que quer fazer parte do universo cripto e ele pode ser a sua porta de entrada nesse novo mundo. Ainda não conhece a plataforma da Ripio? Acesse o site para se cadastrar e começar a fazer parte da nova economia digital.