Voltar ao início

O que há por trás da consolidação do Bitcoin em US$ 19 mil

O que há por trás da consolidação do Bitcoin em US$ 19 mil

SEO

Paula Reis
Content Creator
10/10/22

Em meio ao caos global nos mercados tradicionais, os preços do Bitcoin (BTC) permanecem significativamente estáveis, em uma consolidação desde junho — ou seja, o ativo está há quase 5 meses entre US$ 18 mil e US$ 25 mil. Historicamente, é raro termos os preços do BTC tão estacionários por tanto tempo, e quanto mais a lateralização se estende, maiores são as probabilidades de volatilidade no horizonte.

Neste relatório, vamos partir do preço do Bitcoin na análise gráfica e unir a sua análise aos dados on-chain (dados de rede disponibilizados pela transparência da Blockchain) a fim de entender os movimentos e o comportamento dos players do nosso mercado. 

A partir do grande volume financeiro negociado na última vez em que o preço testou o fundo desta lateralização (dias 26 a 28/09, com mínima em US$ 18.471,28), conclui que seria interessante focarmos nossos estudos em indicadores como HashRate, o número de carteiras com mais de US$ 1 milhão em Bitcoin, MVRV e NVT. 

 

O movimento do preço

As linhas tracejadas em amarelo mostram o topo de US$ 20.475 e o fundo de US$ 18.471,28 atingidos na última quinzena (de 26/09 a 07/10/2022) em continuidade à lateralização que se estende no BTC desde junho, quando atingiu o preço de US$ 17.622.

Gráfico, HistogramaDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

A semana de 26/09 teve um grande volume negociado ao mesmo tempo em que o preço defendeu novamente a região dos US$ 18 mil e se manteve na faixa dos US$ 19 mil nos dias subsequentes. 

Quando observamos o histórico do gráfico semanal, fica mais clara a magnitude do volume financeiro depositado, pois a faixa de US$ 53 bilhões só foi atingida em maio de 2021. Na sequência deste evento, tivemos a queda de 25% do preço, rompendo o range de topo com grande volatilidade, a amplitude do preço rumo aos US$ 30 mil no mês seguinte (junho) e nova ATH (máxima histórica) em novembro do mesmo ano. 

Gráfico, HistogramaDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

Graficamente, tal movimentação nos leva a crer que o fim desta lateralização está mais próximo do fim. A seguir, vamos utilizar os dados on-chain para extrair mais informações deste movimento.

O que é o HashRate e por que é importante observá-lo

O HashRate é um índice que calcula o poder de processamento total dos computadores que trabalham em um bloco de códigos. Ele verifica qual a velocidade em que as máquinas estão concluindo os seus cálculos matemáticos. 

Tal métrica também indica qual o nível de segurança da rede, uma vez que seu valor é diretamente proporcional à dificuldade de localizar os dados na Blockchain. Quanto mais tempo um minerador leva para decodificar um bloco, maior a sua taxa, o que significa uma maior resistência a ataques externos.

O HashRate de mineração de BTC atingiu novos recordes nesta quinzena, atingindo o nível de 244 Exhash por segundo. Tal alta eleva o custo de produção do BTC em um momento em que as receitas dos mineradores acabaram de se recuperar de uma recente capitulação. 

É interessante observar que a HashRate efetuava um movimento relacionado ao preço de BTC em dólar durante 2021 — com ambos em ascendência, como mostra a seta verde. Já em 2022, os movimentos de preço e HashRate são inversamente proporcionais, e, neste cenário, qualquer queda significativa de preço da criptomoeda pode levar os mineradores a um estresse de renda agudo e explícito.

Interface gráfica do usuário, GráficoDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

Número de carteiras com saldo maior que US$ 1 milhão

O que o saldo das “baleias” nos mostra

Esse indicador é um dos mais interessantes para nós do varejo, pois traz muito do racional das famosas “baleias”, que são os investidores com maior quantidade de Bitcoins acumulados.

Em comparação ao preço de BTC em dólares, observamos que o indicador mostra picos em aproximadamente 65.000 carteiras com saldo superior a US$ 1 milhão em 2022 e, coincidentemente, neste mesmo patamar e nesta última quinzena. Após a máxima histórica em novembro de 2021, este indicador estava em descendência e o movimento atual mostra acumulação dos players nesta faixa de preços da consolidação.

Tela de computador com jogoDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

NVT

Este indicador é a relação entre o valor da rede e as suas transações. Ele é calculado como uma capitalização de mercado da criptomoeda, sendo dividida por seu volume diário transacionado e cotado em dólar. Quando o NVT está acima de 95,0000 indica sobrecompra, portanto, o preço já está suficientemente valorizado e está próximo de reverter.

Observa-se que este indicador apresenta uma distorção com a análise grafista de preço, já que no dia 26/09, ele indicou 99,2145 acima da linha de sobrecompra e o preço se manteve estável. Esse é um dos motivos em que ainda não podemos afirmar que o grande volume da semana significa um fundo com reversão de alta ou fim da lateralização de preços.

Gráfico, Gráfico de superfícieDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

MVRV 

O indicador MVRV é a relação entre market cap (capitalização) e o custo total de aquisição de todos os criptoativos em circulação no mercado.

Na última quinzena, o MVRV demonstrou alta significativa de 0,8670 para 0,9386, o que melhora o custo dos investidores de longo prazo, mas ainda demonstra perdas não realizadas.

Somente quando o MVRV ultrapassa a linha de 1,0000 é que podemos concluir custo favorável para os hodlers, sendo um preço em que eles realizariam lucros caso efetuassem a venda de seus criptoativos.

Tela de computador com jogoDescrição gerada automaticamente
Fonte: Vector Pro

Resumo e Conclusão

O Bitcoin continua em lateralização (também chamada de consolidação ou range) de preços desde junho de 2022. A movimentação do gráfico na última quinzena nos revelou volume financeiro elevado na região dos US$ 18 mil. 

O depósito deste alto volume (mais de US$ 53 bilhões) na semana de 26/09 se equipara ao movimento de maio de 2021. Após este evento, o preço se manteve fixo em US$ 19 mil nesta quinzena. Graficamente, ainda precisamos que o preço rompa os US$ 21.100 com volume para concluir que tal movimentação seria de reversão para alta.

Ao consultar os dados on-chain, observamos distorção dos indicadores HashRate e NVT com o movimento de preço em dólar. Os demais indicadores analisados não demonstram dados similares ao mês de maio de 2021 durante esta quinzena.

Tudo nos leva a crer que o período de consolidação de preços está mais próximo do fim e que a volatilidade será nossa companheira no médio prazo.

 

DISCLAIMER

Paula Martins dos Reis – Analista CNPI-T 3012

1) Este relatório de análise foi elaborado pela analista de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer ativo. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. O Grupo Ripio não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. 2) O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação ao Grupo RIpio ou e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. 3) A analista independente está obrigada ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para Analistas de Valores Mobiliários. 4) Os ativos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. 5) A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. 6) Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da analista. 7) A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação a capitalização de mercado, dados on chain e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. 8) O investimento em criptomoedas é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, O investimento em criptomoedas é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da blockchain e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. 9) O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira.